NE10 – MST lança campanha nacional contra agrotóxicos

Por Mariana Ferraz

No NE10

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em parceria com 50 entidades nacionais da área de saúde e meio ambiente, lançou nesta quinta-feira (7) – Dia Mundial da Saúde – a Campanha Nacional contra Agrotóxicos pela Vida. O objetivo, segundo o fundador e coordenador nacional do movimento João Pedro Stedile, é conscientizar a população brasileira dos riscos que estamos correndo, seja os agricultores, seja os consumidores de alimentos”. Entre as metas da campanha está a proibição da pulverização aérea no país, por ser uma prática dos grandes agricultores que contamina rios, lagos, lençóis freáticos e a própria atmosfera.A campanha também pretende fortalecer as agências de vigilância sanitária e pressionar o Governo para que as fábricas sejam obrigadas por lei a imprimir, nos rótulos dos alimentos, se o produto foi cultivado com agrotóxicos e qual a concentração, em termos proporcionais, para cada porção. “A maior aberração é esconder a informação dos consumidores”, afirmou Stedile.
.
.
A forma de atuação da entidades será o diálogo firme com governos estaduais e federais. Stedile afirmou que membros do MST se reuniram com o governador do Ceará, Cid Gomes, e ele se mostrou sensível à causa. Para Pernambuco, ele pediu atenção do governador Eduardo Campos à fiscalização do plantio da cana-de-açúcar, na Zona da Mata, e no pólo de produção de frutas de Petrolina, no sertão do estado.

Para Stedile, o consumo de alimentos orgânicos provenientes do modo de produção familiar é benéfico à saúde humana, pois os pequenos agricultores não utilizam agrotóxicos no plantio, ao contrário dos grandes latifundiários. Além disso, as pequenas unidades de terra geram mais emprego, pois não se utilizam muitos equipamentos mecânicos – portanto, a renda seria distribuída de forma mais equilibrada. Quanto ao custo desses orgânicos, Stedile alertou que “não é verdade que o custo de produção do alimento orgânico é maior”, criticando os donos de
supermercados por explorarem a população superfaturando os preços para aumentar sua margem de lucro.

A ação de conscientização, reconhece o líder do MST, será paulatina e frequente. É importante também investigar os casos de violência cometidos por grandes produtores contra aqueles que denunciam os prejuízos trazidos pelos agrotóxicos. Como exemplo, Stedile deu como exemplo o assassinato de Zé Maria, um líder dos pequenos agricultores da região do Vale do Apodi, no Pará, cuja investigação ainda não foi concluída.

Link direto em: http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/saude/noticia/2011/04/07/mst-lanca-campanha-nacional-contra-agrotoxicos-265230.php

Anúncios

Sobre miaraguaia

Mineira crescida em Goias com o sangue paraense. Vivendo (e amando viver) no quadradinho do DF. Quero mais viver o mundo.
Esse post foi publicado em Campanha, Divulgação. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s